PAGAMENTO DO PIS PELA CAIXA ECONÔMICA FEDERAL COMEÇA HOJE (23)

Posted on jul 23 2013 - 3:28pm by William Camargo
PAGAMENTO DO PIS PELA CAIXA ECONÔMICA FEDERAL COMEÇA HOJE (23) 1x1.trans%

PAGAMENTO DO PIS PELA CAIXA ECONÔMICA FEDERAL COMEÇA HOJE (23) – Tânia Rêgo/ABr

PAGAMENTO DO PIS – BENEFICIÁRIOS PODEM IR ATÉ A AGÊNCIA PARA RETIRAR O BENEFÍCIO

São Paulo (23/07) – A Caixa Econômica Federal iniciou hoje (23) o pagamento do Programa de Integração Social (PIS) aos trabalhadores com direito a saque do benefício no exercício 2013/2014.

Até 30 de junho de 2014, data de encerramento do novo exercício, 19,4 milhões de trabalhadores terão direito ao abono salarial, e mais de 26,5 milhões poderão receber os rendimentos do PIS.

Hoje, o benefício está disponível para trabalhadores que têm conta-corrente ou poupança na Caixa. Segundo o banco, empresas conveniadas ao Caixa PIS-Empresa creditam o benefício diretamente na folha de pagamento dos meses de julho ou agosto. Os demais beneficiários poderão sacar os abonos e rendimentos do PIS a partir de 13 de agosto, conforme calendário de pagamento (abaixo), ordenado pelo mês de nascimento do trabalhador. Os benefícios ficarão disponíveis até 30 de junho de 2014.

De acordo com a Caixa, há mais de 120 mil estabelecimentos credenciados, em um total de R$ 1,38 bilhão em benefícios creditado diretamente na folha de pagamento dos trabalhadores. Com o crédito em conta, são atendidos mais de 10 milhões de trabalhadores que têm conta-corrente ou poupança na Caixa.

O saque, a partir de 13 de agosto de acordo com calendário de pagamento, poderá ser feito com o Cartão do Cidadão e a senha, nos terminais de autoatendimento, casas lotéricas e correspondentes Caixa Aqui ou nas agências do banco.

A Caixa explica que o valor do abono salarial corresponde a um salário mínimo. Os rendimentos variam conforme o saldo existente na conta PIS vinculada ao trabalhador. Quando o trabalhador não saca os rendimentos do PIS, ele não perde o benefício, pois os valores retornam para a sua conta de participação. No caso do abono salarial, o valor não sacado dentro do prazo estipulado retorna para o Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT).

A Caixa encerrou o exercício 2012/2013 com mais de R$ 11,4 bilhões em pagamentos de abonos e rendimentos do PIS. Dos trabalhadores com direito ao abono salarial, 95,8% efetuaram o saque do benefício, num total de R$ 10,8 bilhões em abonos retirados. Os rendimentos do PIS, por sua vez, foram sacados por mais de 13 milhões de trabalhadores, totalizando cerca de R$ 612 milhões pagos até junho de 2013.

Têm direito ao abono os trabalhadores cadastrados no PIS até 2008 (cinco anos de cadastramento) e que tenham trabalhado no mínimo 30 dias, consecutivos ou não, no ano de 2012, com carteira de trabalho assinada por empresa. Além disso, é preciso ter recebido, em média, até dois salários mínimos mensais e os dados informados corretamente pela empresa ao Ministério do Trabalho e Emprego na Relação Anual de Informações Sociais (Rais) do ano-base 2012 devem estar corretos.

Tem direito ao saque o trabalhador que foi cadastrado no PIS-Pasep até 4 de outubro de 1988 e que tenha saldo na conta PIS. O pagamento obedece ao mesmo calendário do abono salarial.

Atualmente é permitido o saque de quotas da conta PIS ao trabalhador que apresentar algum dos motivos previstos em lei: aposentadoria, invalidez permanente ou reforma militar, idade igual ou superior a 70 anos, transferência de militar para a reserva remunerada, titular ou dependente portador do vírus HIV (Aids) ou de neoplasia malígna (câncer), morte do titular, ou ainda, benefício assistencial à pessoa portadora de deficiência e ao idoso.

Para saber se tem direito ao abono salarial ou aos rendimentos do PIS, o trabalhador pode consultar a página da Caixa na internet,  opção “Consulta de Pagamentos”, ou entrar em contato pelo Canal de Atendimento ao Cidadão, pelo número 0800 726 0207. Ao ligar para o canal, o trabalhador deve sempre ter em mãos o número do seu PIS. A consulta poderá ser efetuada 24 horas por dia, inclusive nos finais de semana

NASCIDOS EM:

RECEBEM A PARTIR DE:

JULHO

13/08/2013

AGOSTO

15/08/2013

SETEMBRO

20/08/2013

OUTUBRO

22/08/2013

NOVEMBRO

12/09/2013

DEZEMBRO

17/09/2013

JANEIRO

19/09/2013

FEVEREIRO

24/09/2013

MARÇO

10/10/2013

ABRIL

15/10/2013

MAIO

17/10/2013

JUNHO

22/10/2013

Agência Brasil
Edição final: Natasha Mekanna/Folha Paulistana

About the Author

William Camargo começou sua carreira no jornalismo com 14 anos de idade no jornal Tribuna de Itapira, cidade localizada na divisa de São Paulo com Minas Gerais. Neste veículo de comunicação ele tomou gosto pelo texto e descobriu sua aptidão pela fotografia. Depois, ainda na mesma cidade teve passagens pelo Jornal Expressão, no qual possuía sua própria coluna e no extinto Jornal de Itapira. Aos 19 anos conseguiu uma vaga de repórter fotográfico no Jornal O Impacto de Mogi Mirim. Foi neste periódico que sua carreira cresceu, tendo em vista as importantes coberturas de nível regional e nacional que fez. Cobriu com maestria o primeiro acesso do Clube de futebol de Mogi Mirim à Série A2 do campeonato Paulista. Na ocasião jogavam grandes nomes como Leto, Rivaldo e Valber. Foi no jornal O Impacto que William Camargo aprimorou e desenvolveu técnicas pessoais para a revelação em alta velocidade de fotografias em preto e branco. Aos 22 anos de idade William Camargo se aventurou em montar o primeiro jornal impresso em quatro cores daquela região e obtendo grande sucesso. O Jornal Ponto Phocal de propriedade do jornalista deixou de ser um jornal municipal e passou a ser um jornal regional com um noticiário e layout diferenciado e futurista para a época. A impressão era feita em papel Off-Set (Branco) e todas as páginas do semanário eram coloridas. Aos 25 anos decidiu que queria algo maior, no entanto sua experiência se baseava apenas em fatos interioranos. Foi quando resolveu voltar para São Paulo e para suas origens. Deixou de publicar o jornal Ponto Phocal e investiu em sua carreira na cidade de Osasco na Grande São Paulo. Em Osasco teve sua primeira oportunidade em um jornal que circula nas estações de trem e pontos de ônibus. A proposta era totalmente diferente das que havia tido anteriormente. Tornou-se então vendedor de espaços publicitários. Algumas matérias e fotos foram publicadas, porém não se contentou e buscou uma nova oportunidade. A oportunidade surgiu no extinto Jornal Primeira Hora de Osasco. Neste periódico com o o apoio do jornalista Roberto Espinosa ele acumulou duas funções, a de jornalista de texto e de repórter fotográfico. Nessa ocasião William Camargo cobria as pautas, fotografava, escrevia e ainda revelava as fotos, que em sua grande maioria eram preto e branco. Depois teve uma breve passagem pelo jornal O Diário de Osasco. Em sua contínua busca por conhecimento resolveu então aprender um pouco mais de um veículo totalmente novo. Conseguiu uma oportunidade na revista Quem é Quem de Osasco. Era com certeza um trabalho menos dinâmico por o veículo ser mensal, no entanto aprimorou suas técnicas de fotografia, diagramação e editoração eletrônica. Depois de cerca de um ano foi chamado para trabalhar na revista Alpha Magazine, quando mudou-se para o bairro de Alphaville em Santana de Parnaíba, também na Grande São Paulo e permaneceu no bairro por dois anos. Era então o ano de 1999. Neste periódico ficou por 2 anos e regressou para São Paulo. Depois tornou-se parceiro da Agência de Fotografia Futura Press, que distribui material fotográfico para veículos de comunicação do Brasil e do Mundo, obtendo assim maior visibilidade de seu nome como profissional. Depois teve passagem pela Agência Estado e não demorou muito para voltar a ser parceiro da Futura Press até os dias de hoje. Em 2009, oito anos depois de seu regresso novamente à capital paulista, , em uma noite que ele costuma dizer que foi iluminada, teve a idéia de abrir um jornal. Na ocasião ainda morava no Campo Belo na Zona Sul de São Paulo. Em um sonho foi-lhe dado o nome Folha Paulistana. No dia seguinte deu inicio às operações e uma semana depois estava lançando a primeira edição da Folha Paulistana impressa. Autodidata e com pouco conhecimento em tecnologias que envolviam a internet, buscou aprender como funcionava um site e estudou o Google, Adsense, Adwors, SEO, PHP, HTML, Asp, entre outras linguagens e tecnologias para então iniciar o primeiro portal da Folha Paulistana. Um site simples, porém que cativou muitos leitores. Registrou a marca e é detentor oficial da mesma desde de sua fundação. No ano seguinte, 2010, retornou para Santana de Parnaíba, só que desta vez foi morar próximo ao centro da cidade. Em 2012 mudou-se novamente para Alphaville, local em que se encontra até os dias de hoje. A sede da Folha Paulistana também mudou-se para o bairro nobre da Grande São Paulo. William Camargo também se especializou em Direito Autoral, por valorizar de forma ímpar a necessidade de creditar aos autores das obras que publica, sejam elas textos ou imagens. Impetuoso, quieto e quase que exilado, dirige a Folha Paulistana via WEB e nas raras vezes que sai, atualmente é para cobrir grandes acontecimentos e os jogos dos campeonatos de futebol profissional. William Camargo acredita que para conseguir o sucesso, como o de hoje na Folha Paulistana, tem que se manter focado e sem distrações. Desde que começou a contagem de leitores que acessam a Folha Paulistana, em julho de 2013, atualmente o veículo possuí mais de 25 milhões de leitores no Brasil e no Mundo. A meta atual do jornalista e fundador da Folha Paulistana é crescer ainda mais, bem como gerar mais empregos e auxiliar os que estão iniciando na profissão. Depois de ter percorrido durante 27 anos por várias etapas e fases do jornalismo, acredita que tem e que pode passar muita experiência para os que estão chegando, no entanto não descarta nunca a possibilidade certa de estar aprendendo seja com profissionais mais qualificados que ele, bem como com o novatos que iniciam a carreira. "Na minha vida aprendi que o aprender é continuo. Nunca vamos saber tudo, por isso, quando qualquer um dos jornalistas chegam com uma sugestão ou questionamento, dou toda atenção possível, pois com certeza o mínimo que irá acontecer é eu aprender algo novo. Minha busca pelo conhecimento e auto-conhecimento é incessante. Aprender e repassar o que aprendi tornaram-se diretrizes em minha, como uma missão. Toda e qualquer missão deve ser cumprida, custe o que custar. Prezo muito a ética e os bons costumes não só no jornalismo mas na vida! Isso serve e sempre serviu para mim. Acredito no poder político de uma nação, de um estado ou município, mas acredito mais ainda que quem faz a diferença realmente é o povo. Tenho desejo de mudar o mundo para melhor, pelo menos em meu ponto de vista. No entanto, como pontos de vista se divergem nem sempre estarei certo, bem como nem sempre estarei errado. Por isso é importante ouvir o outro e colocar sempre na balança o que penso e o que os outros pensam, meditando, (filtrando o que sei e o que o outro sabe), para então chegar a uma decisão final. Acredito que hoje esse seja o maior problema que a sociedade enfrenta. Vive gritando em 'silencio' aos quatro cantos que deseja mudança. Mudança como sem ter uma voz mais firme e forte? Gritar para dentro que eu quero algo melhor, apenas eu ouvirei. Agora se eu grito para dez, estes dez irão gritar para mais cem, que gritarão para mil e assim sucessivamente. Nos brasileiros, precisamos urgentemente aprender a gritar. Fazer parte do Quarto Poder (IMPRENSA) me dá a oportunidade de ajudar nesse grito por igualdade e justiça que ficam presos em nossas gargantas. Dizer não à corrupção e ao favorecimento de x ou y. Somos todos seres humanos, iguais e com os mesmos deveres e diretos civis. Façamos jus a esse direito que nos é dado pela Constituição. Como Quarto Poder, que apesar de alguns dizerem que não é reconhecido, sabemos já derrubou mundo à fora imperadores, reis e presidentes. Por isso, acredito sim que por fazer parte do Quarto Poder , posso e tenho o dever de prestar serviço seja à uma comunidade, município, estado e ao meu país. Meu nome é William Camargo, sou brasileiro com muito orgulho e com muito amor", afirmou o jornalista.