ENEM – Confira temas atuais que podem cair no Enem

ENEM - Confira temas atuais que podem cair no Enem - SXC

ENEM – Confira temas atuais que podem cair no Enem – SXC

Atualizado 22/10 – As provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2013, acontecem no próximo sábado e domingo, 26 e 27 de outubro de 2013.  Além das fórmulas de física e teoremas matemáticos, quem está estudando para a prova sabe que o Enem exige um pouco mais do candidato – a prova também testar o conhecimento do aluno sobre temas atuais que estão em debate no Brasil e no mundo.

Não é possível adivinhar quais temas vão aparecer nas questões do Enem 2013 ou mesmo na redação – em 2012 o tema da redação, a migração no Brasil no século 21, surpreendeu professores e alunos.  Mas alguns assuntos que tiveram mais relevância no cenário nacional neste ano devem receber maior atenção dos alunos. Listamos aqui alguns deles para ajudar os estudantes na reta final. Confira:

Espionagem – Ao longo deste ano descobrimos que as informações que trocamos na internet nem sempre são sigilosas. Denúncias de espionagem feitas por Edward Snowden mostraram que até mesmo os governos estão sujeitos a terem seus dados descobertos, colocando os Estados Unidos em situação delicada em relação a outros países,especialmente o Brasil: descobriu-se que a Petrobras também é alvo de monitoramento de informações, o que levou a presidenta Dilma Rousseff a avaliar o cancelamento da visita diplomática que faria a Washington em outubro. Em tempos de espionagem eletrônica, anonimato e redes ocultas na web, o Portal EBC investigou como os dados dos internautas brasileiros são tratados – e até mesmo vendidos – nesse espaço virtual. Especialistas e ativistas comentam a falta de legislação e de privacidade na rede, além dos riscos reais que o mundo cibernético pode trazer. O Especial “Web Vigiada: dados dos brasileiros estão expostos a cada conexão” é apresentado em quatro blocos: Legislação, Privacidade, Monitoramento e Web Oculta.

Protestos – Um dos grandes acontecimentos de 2013 no Brasil foi a onda de protestos que se espalhou pelo país, principalmente no mês de julho. A partir da reação exagerada da polícia aos protestos de São Paulo contra o aumento da tarifa de ônibus, diversas manifestações foram organizadas por todo o país e inclusive no exterior. As reivindicações eram múltiplas: mais dinheiro para a saúde e a educação, contra corrupção, por transporte urbano de qualidade. Um dos principais alvos dos protestos foram os estádios construídos para a Copa do Mundo de 2014, que estavam lotados de torcedores que assistiram aos jogos da Copa das Confederações. A indignação dos população surtiu alguns efeitos positivos: várias cidades reduziram a tarifa de ônibus, o Congresso Nacional aprovou projeto que torna corrupção um crime hediondo e derrubou a chamada PEC 37, que previa uma redução dos poderes de investigação do Ministério Público. Assista ao vídeo em que os professores Israel Batista e Jorge Figueired  avaliam como o tema pode ser cobrado na prova – inclusive na redação.

40 anos do Golpe do Chile – Em 2013, completa-se 40 anos do golpe militar ocorrido no Chile. No dia 11 de setembro de 1973, a história do país foi modificada quando um golpe militar resultou na morte do então presidente Salvador Allende. O regime militar no Chile, liderado pelo general Augusto Pinochet, durou quase 17 anos e foi até 1990. A história da América Latina no século 20 foi marcada por regimes ditatoriais, não só no Brasil e no Chile, como em outros países. Um prato cheio para as provas de ciências humanas do Enem.

Comissão da Verdade – Em 2013, a Comissão da Verdade completou um ano de atuação. A principal missão do grupo de trabalho é investigar as violações aos direitos humanos cometidas por agentes do Estado durante a ditadura militar. Um dos feitos mais importantes da comissão foi determinar a exumação do corpo do ex-presidente João Goulart para esclarecer se a causa da morte foi mesmo um ataque cardíaco, conforme divulgaram na ocasião as autoridades do regime militar. A Ditadura Militar é tema recorrente nas provas do Enem, por isso é importante estar informado sobre os trabalhos da comissão para conectar os fatos dos presentes e do passado. Confira o balanço de um ano das atividades da comissão.

Acesso da população à saúde – No ano em que o sistema Único de Saúde (SUS) completa 25 anos, aqueceram-se os debates em torno do acesso à saúde pública de qualidade. Os protestos que tomaram as ruas do país em junho deste ano pediam, entre outras reivindicações, mais recursos destinados à saúde. A formação nas faculdades de medicina entrou em pauta, o MEC instituiu política nacional para criar mais cursos no país, e o Ministério da Saúde lançou o programa Mais Médicos, um investimento de aproximadamente R$15 bilhões em infraestrutura e novas contratações direcionadas para regiões que sofrem com a escassez de profissionais da saúde, com o objetivo de aumentar a proporção de médicos por habitante. O assunto ainda é polêmico, porque não houve exigência de que os médicos estrangeiros fizessem o Revalida, para tornar os diplomas desses profissionais válidos para atuação no Brasil. Leia o especial Raio X da Saúde, da Agência Brasil, que visitou estados e mostra cenários do SUS pelo Brasil.

Reforma política – Um dos efeitos dos protestos que se espalharam pelo país em junho de 2013 foi a volta da discussão sobre a reforma política. O governo tentou convocar um plebiscito para discutir com a população quais regras, principalmente eleitorais, deveriam ser modificadas. Mas não houve tempo de organizar a consulta antes do prazo mínimo para que as mudanças pudessem valer para as eleições de 2014. A iniciativa trouxe à tona a discussão sobre os modelos de consulta popular – plebiscito e referendo – que já foram utilizados em outros momentos históricos do Brasil. O professor Israel Batista explica a diferença entre os dois modelos e como a questão pode cair no Enem. Também esquentou em 2013 o debate sobre a reforma política e as propostas de alteração da legislação como o financiamento público de campanha, o voto secreto e parlamentares e a duração dos mandatos.

Mensalão – em 2013 o tema que dominou o Judiciário no Brasil foi o julgamento dos réus da Ação Penal 470, o chamado mensalão. O tema ocupou quatro meses da pauta do STF e foi considerado o maior julgamento daquela Corte.  O caso,denunciado em 2005, pelo então deputado Roberto Jefferson envolvia o pagamento de determinadas quantias a parlamentares em troca de apoio político. Trinta e oito réus foram a julgamento e 25 foram condenados. Quando o caso parecia encerrado, o Supremo Tribunal Federal decidiu acatar os chamados embargos infringentes de 12 dos condenados que terão direito a um novo julgamento que pode ou não alterar suas penas.

Transporte urbano e mobilidade – as manifestações do mês de junho trouxeram à tona o debate sobre a qualidade do transporte urbano no país. Várias cidades reduziram o preço das passagens e ganhou força o movimento da tarifa zero, que reivindica que o serviço seja oferecido de forma gratuita à população. Em resposta, o governo lançou um pacto para investir R$ 50 bilhões na área. São vários os desafios do Brasil para incentivar a população a deixar o carro e procurar alternativas de mobilidade, como o metrô, o ônibus e mesmo a bicicleta. O assunto pode aparecer na prova do Enem e provocar o estudante a a refletir sobre as soluções para o problema.

Primavera árabe – países que protagonizaram a Primavera Árabe no Oriente Médio, com protestos populares e a derrubada de regimes ditatoriais, passaram por novos momentos de tensão política durante 2012, e em 2013 não está sendo diferente. A Síria tem enfrentado a comunidade internacional devido a ataques com armas químicas. Milhares de pessoas morreram neste ano. Desde o início dos confrontos no país, em março de 2011, morreram mais de 100 mil pessoas e aproximadamente 7 milhões de sírios precisam de ajuda humanitária de emergência, de acordo com balanço da ONU. Os confrontos foram deflagrados pela disputa política entre a oposição e o presidente Bashar Al Assad, que é pressionado a deixar o poder, mas resiste. Na Turquia, milhares de pessoas foram às ruas contra o governo e a ocupação da área hoje tomada pelo parque Gezi para a construção de um centro comeercial. Centrais sindicais convocaram greves e houve confrontos entre manifestantes e policiais, com diversas denúncias de abuso de poder, além de mortos e feridos. Os protestos deram resultado: a construção do centro comercial foi abortada, e o parque reaberto. No Egito,o presidente do Egito, Mohamed Mursi, foi destituído do poder pelas Forças Armadas em junho e substituído por Adly Mansour. Desde então, aumentou a onda de manifestações e violência. O país está em estado de emergência até novembro.

Centenário de Vinícius de Moraes
Nascido em 19 de outubro de 1913, no Rio de Janeiro, Vinícius de Moraes foi diplomata, dramaturgo, jornalista, mas se tornou inesquecível para a cultura brasileria com sua vasta obra como poeta e compositor. Conhecido também como Poetinha, teve parceiros como Tom Jobim, Toquinho, João Gilberto e Chico Buarque e foi um dos criadores da Bossa Nova. Ao longo deste ano, Vinícius de Moraes está sendo lembrado em diversas homenagens e a EBC também está preparando diversos materiais sobre o artista, que devem ir ao ar na data em que o artista completaria 100 anos. Enquanto isso, ouça os programas Ecos de Uma Era e Vozes Brasileiras, da Rádio MEC AM, ambos especiais sobre Moraes.

50 anos do discurso de Martin Luther King
“Eu tenho um sonho de que um dia, nas colinas vermelhas da Geórgia, os filhos dos antigos escravos e os filhos dos antigos dos donos de escravos poderão se sentar juntos à mesa da fraternidade”. Essas frases foram ditas por Martin Luther King para milhares de pessoas que se reuniram em agosto de 1963 em Washington, nos Estados Unidos, para ouvir um de seus mais conhecidos discursos. O ativista foi um dos principais líderes do movimento pelos direitos civis dos afro-americanos e defensor do pacifismo. No ano seguinte, o Congresso Americano aprovou a Lei dos Direitos Civis e King se tornou o mais jovem vencedor do Prêmio Nobel da Paz, aos 35 anos.

Amanda Cieglinski e Ana Elisa Santana – Portal EBC
Edição final: William Camargo/Folha Paulistana

Like it? Share it!